"queremos ser mães"

saber mais
circle

o que é?

Nesta página tem a oportunidade de ficar a saber se poderá vir a ter um “Pride Baby” e em que medida é que o/a poderemos ajudar.

1.

Tratando-se de um projecto dirigido à comunidade LGBTQIA+, o Pride Babies compreende a importância de respeitar as idiossincrasias e necessidades de cada grupo e aceitar a pessoa de forma incondicional a concretizar o projecto da parentalidade, apoiando a liberdade da sua orientação sexual e identidade de género. 

2.

Entendemos que os significados da sigla LGBTQIA+ geram controvérsia e podem não abranger todas as condições, por isso agradecemos que nos contacte caso nos queira ajudar a melhorar e tornar a comunicação mais inclusiva e respeitosa (email: info@ferticentro.pt).

De referir ainda que todos os casos carecem de avaliação clínica.


3.

O que significa a sigla LGBTQIA+?

As letras “LGB”, referem-se à orientação sexual da pessoa, ou seja, as formas de se relacionar afectiva e/ou sexualmente com outras pessoas. A outra parte, “TQIA+”, diz respeito a identidade de género, ou seja, como a pessoa se identifica, o que vai para além do género feminino ou masculino (binário).


a quem se
dirige?

Cisgénero e Transgénero

Antes de mais, é importante distinguir entre Cisgénero (“Cis”) e Transgénero (“Trans”). Um Cisgénero define um indivíduo que se identifica, em todos os aspectos, com o género atribuído à nascença. Já o Transgénero é alguém que muda de género, ou seja, apesar de ter nascido com um aparelho reprodutivo feminino ou masculino, identifica-se com o género oposto.

Lésbica: Pessoa Cisgénero ou Transgénero que se identifica com o género feminino e se relaciona afectiva e/ou sexualmente com outras pessoas do género feminino.

#PrideBabiesCanHelp: Em princípio, asseguradas as condições de saúde, poderá fazer tratamento de fertilidade. Um casal de lésbicas ou uma lésbica podem recorrer a Inseminação Artificial com Esperma de Dador, a fecundação in vitro com esperma de dador ou a Maternidade Partilhada (em que uma pessoa engravida de um embrião obtido a partir de um óvulo da sua mulher/companheira e um espermatozóide de um dador).

Gay: Pessoa Cisgénero ou Transgénero que se identifica com o género masculino e se relaciona afectiva e/ou sexualmente com outras pessoas do género masculino.

#PrideBabiesCanHelp: Infelizmente um casal gay ou um homem gay não podem realizar tratamentos de fertilidade para alcançar a parentalidade, em Portugal. Mas pode, contudo, realizar criopreservação de esperma.

Bissexual: Pessoa que se relaciona afectiva e/ou sexualmente com pessoas do mesmo género que o seu ou de outras identidades de género.

#PrideBabiesCanHelp: Em princípio, asseguradas as condições de saúde, poderá fazer tratamento de fertilidade. Um dos elementos do casal deverá ser uma mulher, pois em Portugal os casais exclusivamente masculinos não têm a possibilidade de fazer tratamentos de fertilidade.


saber mais

Escolha do Dador

A seleção dos dadores está regulada por Lei e inclui homens maiores de 18 anos com um bom estado de saúde físico e mental, com um estudo de doenças infeciosas negativo, cariótipo normal.
Para além disso são realizados testes genéticos relativamente a ele, para prevenir o risco de transmissão de doenças genéticas.

Porquê Portugal

Importa dizer que Portugal tem uma das leis mais progressistas da Europa na área da Procriação Medicamente Assistida.

Os elementos do casal têm exatamente os mesmos direitos sobre as crianças, independentemente do elemento do casal cujos óvulos foram utilizados no tratamento (podendo este também ser resultado de dupla doação ou doação de embriões) ou de quem engravidou e teve parto da(s) criança(s).

Trata-se de um processo extremamente simples do ponto de vista burocrático, em que a gravidez é obtida com recurso a esperma doado por um dador.

Em Portugal as crianças nascidas a partir de tratamentos com doação de gamelas têm o direito a conhecer a identidade do seu dador, o que não é apenas um direito fundamental da criança como pode ser muito importante por razões de saúde. Os registos dos dadores são guardados por pelo menos 75 anos, tal como definido na Lei, o que torna os tratamentos realizados no nosso país particularmente seguros do ponto de vista da criança.

Estas garantias fazem de Portugal o país mais seguro para a realização da Fertilização Recíproca.

tratamentos

Inseminação Artificial Intra-Uterina Com Esperma de Dador

Fecundação in vitro com ovócitos próprios e esperma de dador

Fecundação in vitro com doação de ovócitos e espermatozóides de dador

Maternidade Partilhada

Perguntas Frequentes

testemunhos

Contactos